Ícone Whatss
 CLASSIFICAÇÃO SAE E ISO DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES
Lubrificante Automotivo

Publicado por Eng. José Cesário Neto

07 ABR 2021 | 11h05

Hoje iniciaremos a abordagem de um tema de extrema importância para a indústria de lubrificantes, fabricantes de equipamentos originais e usuários. Falaremos sobre os sistemas de classificação de óleos lubrificantes. Por se tratar de um assunto muito extenso, faremos uma série de quatro correios sobre o tema. 

 

Vou começar pelos sistemas de classificação de óleos lubrificantes automotivos e industriais baseados na principal propriedade de um óleo que é a sua viscosidade. 

 

     1 - Sistema SAE de classificação de viscosidade de óleos para cárter (motor)

 

Com o advento dos automóveis no início do século passado, uma das maiores preocupações dos fabricantes de veículos naquela época, era minimizar o risco do uso de óleo errado no motor e/ou na transmissão do seu veículo. Para atender a esta demanda, em 1911, a SAE (Society of Automotive Engineer - Associação dos Engenheiros Automotivos) dos USA, desenvolveu o primeiro sistema de classificação para óleos automotivos que se baseava única e exclusivamente na viscosidade. Este sistema, que tem sido atualizado ao longo do tempo, estabelece para os óleos de motor 11 classificações ou graus de viscosidade diferentes: SAE 0W, SAE 5W, SAE 15W, SAE 20W, SAE 25W, SAE 16, SAE 20, SAE 30, SAE 40, SAE 50 e SAE 60.

 CLASSIFICAÇÃO SAE E ISO DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES

A letra "W" que se segue ao grau SAE vem da palavra "Winter" (inverno) e indica que o óleo é adequado para uso em locais de clima frio. Os óleos que tiverem a indicação W devem apresentar valor adequado de viscosidade quando medidos à baixas temperaturas estabelecidas pela SAE. As classificações que não incluem o "W", definem graus de óleo para uso em locais de temperaturas mais altas, ou seja, climas quentes. A viscosidade desses óleos - SAE 20, 30, 40, etc. - deve ter valor correto quando medido a 100oC.

 

Os aditivos melhoradores de índice de viscosidade tornam possível a fabricação de óleos multigraus, como por exemplo o óleo SAE 20W40 e o SAE 15W40. Os óleos multigraus são amplamente são amplamente empregados porque em todas as condições são bastante leves para permitir dar a partida no motor com facilidade a baixas temperaturas com o motor ainda frio, e suficientemente viscoso para ter um desempenho satisfatório a temperaturas elevadas após o aquecimento do motor.

 

É importante compreender que o sistema de classificação de viscosidade identifica somente a viscosidade e nada mais a respeito do tipo ou da qualidade do óleo ou do serviço ao qual ele se destina.

 

     2 - Sistema SAE de classificação de viscosidade de óleos para transmissão manual e diferencial

 

Este sistema tem a função análoga ao sistema para óleos de motor. Aqui também o sufixo "W" indica graus de viscosidade destinados a uso em baixas temperaturas, ou seja, locais de clima muito frio.

 CLASSIFICAÇÃO SAE E ISO DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES

É importante salientar que não há continuidade entre os graus de viscosidade para óleos de cárter e aqueles referentes aos óleos de engrenagem automotiva, apesar da aparente semelhança em seus sistemas de numeração. A gráfico abaixo, mostra, por exemplo, que um óleo de cárter SAE 50 tem a viscosidade de um óleo SAE 90 e que um SAE 40 situa-se parcialmente dentro do grau SAE 90 para óleos de engrenagens e parcialmente abaixo dele.

 CLASSIFICAÇÃO SAE E ISO DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES

Os óleos de múltipla graduação para engrenagens automotivas, por exemplo SAE 85W140, podem ser formulados, como no caso dos óleos para motor, e são aqueles que se situam dentro dos limites de um dos graus "W" para baixa temperatura e, também, dentro dos limites de um dos graus para alta temperatura.

 

    3 - Sistema ISO de classificação de viscosidade de óleos industriais

 

Este sistema aplica-se aos óleos lubrificantes industriais na faixa de viscosidade de 2 a 1.500 cSt a 40oC. Fluidos fora desta faixa são raramente usados como lubrificantes industriais. Os principais objetivos do sistema são: "Estabelecer uma série de definidos graus de viscosidade de modo que, fornecedores de lubrificantes, usuários e fabricantes de equipamentos tenham uma referência comum e uniforme para projetar, especificar ou selecionar a viscosidade de lubrificantes industriais e eliminar desnecessárias viscosidades intermediárias, reduzindo assim o número total de graus de viscosidade usados na lubrificação do equipamento industrial".

 CLASSIFICAÇÃO SAE E ISO DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES

Bem amigos, ficamos por aqui quanto as classificações dos óleos lubrificantes baseada exclusivamente na viscosidade. Nos próximos Correios Técnicos, abordarei a classificação API, ACEA e a classificação dos lubrificantes industriais.

 

Qualquer comentário ou dúvidas, fiquem à vontade para utilizar o campo abaixo. Até o próximo Correio Técnico!

(0) Comentário(s)

*Campo obrigatório