Ícone Whatss
GRAXAS LUBRIFICANTES - III
Graxas

Publicado por Eng. José Cesário Neto

19 JUL 2021 | 11h43

Compatibilidade entre Graxas Lubrificantes 

 

Este é o terceiro post da série que aborda as graxas lubrificantes. Hoje vou trazer um assunto que julgo extremamente relevante e que deve ser sempre considerado aos termos que recomendar uma de nossas graxas em substituição a uma outra. Seja concorrente ou de nossa própria marca.

 

Então, vamos lá...

 

Muitas vezes nos deparamos no campo, na prática, com situações em que a graxa usada em um determinado componente mecânico está sendo substituída por questões de performance, preço, insatisfação com atual fornecedor, entre outras razões. Se as duas graxas envolvidas forem incompatíveis, problemas sérios poderão ocorrer. Segundo definição da NLGI, a incompatibilidade entre duas graxas é caracterizada quando uma mistura dos produtos apresenta propriedades físicas (por ex.: perda de consistência por exemplo - amolecimento da graxa) ou desempenho em serviço (por ex.: redução do ponto de gota - o espessante não consegue reter o óleo e ocorre gotejamento) claramente inferiores aos das duas graxas antes da mistura. 

 

Vários testes de laboratório são usados para determinar a compatibilidade. Eles incluem teste como armazenamento em elevada temperatura, teste de vazamento em mancal de roda, etc. Se os testes indicarem que talvez haja um problema de compatibilidade, em geral, recomenda-se que as graxas não sejam misturadas em serviço. Se possível, deve-se limpar completamente a graxa antiga daquele componente ou sistema, antes de se aplicar a nova graxa. A graxa em uso deve ser expelida do sistema pela graxa nova. Nos primeiros dias, deve-se lubrificar mais frequentemente para que se tenha a certeza de que toda a graxa antiga foi eliminada.

 

O que fazer se as duas graxas são incompatíveis?

 

  • Minimize a mistura.
  • Deixe pouca graxa velha no sistema.
  • Bombeie para fora a graxa remanescente.
  • Relubrifique com maior frequência
  • Se possível, raspe a graxa velha das paredes do reservatório.
  • Preencha o sistema com o lubrificante novo.
  • Carregue a linha de lubrificação com graxa nova para remover a velha.

 

Dica importante: 

  • Utilizar, sempre, bombas e mangueiras diferentes para diferentes tipos de graxas. Procure usar código de cores para uma melhor diferenciação.

 

Para servir como referência para todos nós, a figura abaixo mostra um gráfico que prever a compatibilidade entre graxas de espessantes diferentes. Isso mesmo! É o tipo de espessante que determina se as graxas são podem ser misturadas ou não.

GRAXAS LUBRIFICANTES - III

Bem, meus caros amigos, era isto que eu tinha em mente para compartilhar com vocês sobre compatibilidade entre graxas. Espero que as informações compartilhadas Correio Técnico, tenham sido de valor para todos vocês. Qualquer dúvida, não hesitem em perguntar nos comentários abaixo.

 

Até o próximo Correio Técnico.

(0) Comentário(s)

*Campo obrigatório